Seguidores

Pesquisar este blog

sábado, abril 03, 2010

Provados para sermos aprovados

Muitas vezes não entendemos o porquê de estarmos passando por uma determinada situação e perguntamos: Senhor, por quê? Por que permitiste que tal coisa acontecesse comigo? Meu Deus será que estou em pecado?

A nosso caráter cristão precisa ser constantemente moldado. É necessário que venhamos a desenvolver uma fé sólida e madura. Após o novo nascimento, como crianças recém-nascidas, necessitamos desejar afetuosamente o leite. Porém, com o tempo, precisamos ter um alimento mais sólido. Através da palavra é que somos alimentados e é pelo conhecimento dela que nos desenvolvemos espiritualmente.

(I Pedro 2:2) - Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;
(Hebreus 5:13) - Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino.

Sem o conhecimento da palavra, somos presas fáceis para Satanás. Claro que é necessário termos uma vida de oração, porém, sem o conhecimento de Deus será muito fácil sermos enganados por doutrinas erradas ou seduzidos pelos enganos do diabo.


(Efésios 4:12) - Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;
(Efésios 4:13) - Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,
(Efésios 4:14) - Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.
(Efésios 4:15) - Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,

Jesus antes de começar a cumprir sua missão foi conduzido pelo próprio Espírito ao deserto para ser provado. Para que seu ministério fosse aprovado foi necessário antes, ser provado. Foram 40 dias que ficou somente na presença de Deus. Foram dias de fome, sede, cansaço, frio e calor. Não há água no deserto, não há comida, não há abrigo do sol nem do frio. Jesus estava fraco, cansado, mas não tirou os olhos do Pai. Ele foi tentado na mente, no corpo e no espírito como qualquer um de nós.
Porém, ele lutou contra todos os seus sofrimentos e necessidades. Ele estava faminto, mas preferiu fazer a vontade de Deus.
Tudo isso foi necessário para que Jesus padecesse as mesmas necessidades e tentações que nós passamos.
Porém foram dias de experiência com Deus.
O povo de Israel passou 40 anos no deserto antes de chegar à terra prometida. Eles foram conduzidos por Deus ao deserto. O alimento que eles tinham era Deus quem dava, com isso aprenderam a ser dependentes de Deus e a confiar na sua provisão.
Deus cuidou do seu povo nos mínimos detalhes: uma nuvem os protegia do sol; à noite havia uma coluna de fogo que os guiava; as suas roupas nem calçados não se gastaram; alimento não faltava e a água até da rocha Deus fez sair para matar a sede do povo. Porém, com mesmo contemplando a grandeza de Deus, o povo de Israel permanecia obstinado e rebelde. Murmuravam dizendo ser melhor estar no Egito.
Hoje entre nós não é diferente. Quantas vezes nos queixamos quando estamos passando por momentos ruins chegando a dizer que quando estávamos no mundo, tínhamos uma vida melhor? Esquecemos que mesmo no deserto Deus está conosco e deixamos de ter uma oportunidade para amadurecermos não só espiritualmente, mas emocionalmente também. O deserto não tem que ser permanente, mas apenas um lugar de passagem.
Porém, quanto mais obstinados formos, mas longa será a caminhada nesse deserto.
Devemos entender que no momento em que não podemos contar com nossa própria força, ai então, vemos o braço de Deus se manifestando ao nosso favor.
Devemos passar por esta fase tendo a certeza do cuidado de Deus e entendendo que estamos sendo ensinados por Ele. Assim, sejamos consolados e possamos também consolar aqueles que passam pelas mesmas aflições, sendo misericordiosos e aperfeiçoados no amor.
Que a graça, a paz e o amor de nosso Senhor Jesus esteja com a sua igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário